Escudos

O Náutico é muito conhecido pelo seu mascote pouco convencional, o timbu. Existem várias versões de como se deu a escolha do marsupial como representante do clube. A primeira retrata uma partida de futebol, vencida pelo clube da Rosa e Silva após um “estímulo”. Já as outras remetem ao remo, esporte que deu início a sua história, e ao hábito de os atletas alvirrubros comemorarem as vitórias tomando “umas e outras”.

A história mais conhecida remonta a um jogo entre Náutico e América-PE, em 19 de agosto de 1934. A partida interessava muito ao rival dos alvirrubros, o Sport. Até porque, se o clube da Rosa e Silva empatasse ou perdesse, os rubro-negros o passariam na tabela.

No intervalo, como as condições de vestiário da época eram muito precárias, o então técnico do Náutico, Joaquim Loureiro, decidiu orientar os jogadores no gramado. Como aquele domingo estava frio e chuvoso, um dirigente alvirrubro decidiu levar um “incentivo” para os seus atletas. Para aquecê-los, trouxe ao campo uma garrafa de conhaque.

A torcida adversária, ao ver a cena, teria provocados os jogadores, gritando que eles eram timbus, pois o marsupial é famoso por gostar de bebidas alcoólicas. Porém, quem teve que aguentar a gozação foram os torcedores do Mequinha. O Náutico venceu por 3x1 e, em resposta, os jogadores do clube da Rosa e Silva teriam corrido para o alambrado do adversário e gritado: “Timbu 3x1! Timbu 3x1!”

Depois da partida, o marsupial teria sido eleito como mascote do clube, sendo imortalizado com a criação do bloco Timbu Coroado, ainda em 1934. A troça ainda existe e desfila pelo bairro dos Aflitos no domingo de carnaval.

Segundo outra versão, o timbu foi escolhido devido ao hábito de os alvirrubros comemorarem as vitórias do time tomando umas e outras. Há, ainda, quem diga que a origem do mascote está ligada ao remo. Ou melhor, ao hábito que alguns remadores tinham de, após o treino, ancorar na Rua da Aurora, em frente a uma fábrica de cerveja, e beber bastante.

Cores e uniformes

No artigo 4º do estatuto do clube, está bem claro quais as cores do clube da Rosa e Silva. Historicamente, o vermelho e o branco estão presentes no uniforme da equipe, seja no remo, esporte que deu origem ao Náutico, seja no futebol.

No esporte da bola, o primeiro padrão tem a camisa com listras verticais. Já o segundo costuma ter predominância do branco sobre o vermelho e, mais recentemente, o contrário no terceiro uniforme. Os calções e os meiões também são vermelhos ou brancos.

Dois detalhes merecem menção em relação aos uniformes. O primeiro é que o atual padrão principal da equipe tem a numeração azul, num resgate histórico do modelo utilizado pelos jogadores na década de 1980. O outro é que, desde 2012, o Náutico conta com um quarto uniforme, no qual predomina a cor verde-água, em homenagem ao Rio Capibaribe.

Hinos

O hino oficial do Náutico foi oficializado somente na década de 1990. Trata-se de uma composição do músico Tovinho, que faz referências às cores e às características da equipe, assim como à paixão dos torcedores. Confira a letra e o áudio:

Da união de duas cores mágicas
Nasceu a força e a raça
Vermelho de luta
Branco de paz

Quem olha não esquece jamais
Da união de sete letras mágicas
N-A-U-T-I-C-O
Nasceu um time que encanta
Que manda e desmanda
Que faz o nosso Carnaval

Náutico, teu caminho é de luz
Tua força, tua garra
Fascina e seduz

No meu coração
Brotou o esplendor
De te adorar com emoção

No meu coração
Brotou o esplendor
De te adorar com muito amor


Entre as décadas de 1970 e 1990, os alvirrubros consideravam o frevo Meu coração é alvirrubro para sempre, do compositor Nelson Ferreira, como o hino do clube. Veja a letra e ouça a música:

Meu coração é alvirrubro para sempre
Com muito orgulho, muita raça e emoção
Por teu futuro, teu passado e teu presente
Serás eterno campeão

Náutico, Náutico
Tu nasceste marcado pela glória
E nas cores da Bandeira se misturam
O branco da paz e o vermelho da vitória

Em Pernambuco, no Nordeste do Brasil
O meu Timbu já demonstrou ser o maior
Eu não sou tri, eu não sou penta
Eu sou é hexa
N-Á-U-T-I-C-O