17/12/2018 às 12:07:10

Timbu bateu o Newell´s Old Boys.

Após cinco anos, Náutico volta aos Aflitos com vitória em amistoso e renda milionária.

Divulgação


Festa completa, coração cheio e casa lotada. A volta do Náutico aos Aflitos, após cinco anos longe do estádio, foi um dia inesquecível para cada um dos milhares de alvirrubros que tomaram as arquibancadas do Eládio de Barros Carvalho neste 16 de dezembro. O retorno do Timbu para casa foi só alegria: nostalgia, homenagem a Kuki e ídolos do passado e vitória de 1 a 0 sobre o Newell´s Old Boys, da Argentina, em um domingo para torcedor nenhum colocar defeito. De quebra, também uma renda milionária, que ajudará nos cofres.

Com o público de 17.357, a renda do Náutico na partida foi de R$ 1.576.220. O valor corresponde à maior renda da história do futebol pernambucano, contabilizando os jogos disputados no Estado.

Há quem diga que viajar é bom, mas voltar para casa é ainda melhor. Os alvirrubros, distantes havia cinco anos do estádio que se acostumaram a chamar de casa, tinham esse espírito. Com programação cheia, a sede estava lotados desde a manhã, quando aconteceram shows de artistas pernambucanos e alvirrubros. Às 16h, houve um jogo festivo. A despedida oficial do ídolo Kuki dos gramados. Nas escalações, heróis do passado como Acosta, Adriano, Bizu, Nivaldo e Muricy Ramalho, que comandou uma das equipes. O resultado do duelo foi 3 a 2 para o time listrado. Kuki marcou dois, Thiago Tubarão fez mais um. No lado branco, os artilheiros foram Geraldo e Acosta.


O time atual do Náutico também entrou em campo. Diante do Newell´s, da Argentina, o Timbu apresentou boa parte de sua equipe para 2019 à torcida. Dentro de campo, os alvirrubros venceram por 1 a 0. Gol marcado pelo atacante Thiago, de apenas 17 anos. O primeiro tempo, de modo geral, foi tranquilo para o Náutico. Com gol marcado no início, o time de Márcio Goiano nem precisou forçar muito para conseguir o resultado. No primeiro tempo, por exemplo, o Newell´s teve muita dificuldade para penetrar. De lance perigoso, apenas uma jogada boa de Marcioni que parou na trave de Bruno. Na volta do intervalo, de uniforme trocado, branco, o Timbu sofreu um pouco mais. O atacante González perdeu duas boas chances, que poderiam ter levado ao empate da equipe argentina. Sem brilhar, com baixo nível de intensidade, o Náutico conseguiu se segurar e garantir a vitória.


O Dono da festa

O ídolo Kuki recebeu a maior homenagem do dia. Hoje funcionário do Náutico, ele teve o que há muito a torcida cobrava: um jogo de despedida dos gramados. Para isso, o clube reuniu vários ídolos do passado. Todos respeitados e ovacionados. Nenhum, porém, mais do que o ex-atacante. Autor de dois gols no 3 a 2, Kuki saiu de campo aplaudido por todo mundo, girou o gramado para ser aplaudido pelos torcedores e se emocionou.

Técnicos e ídolos
Embora nunca tenha jogado pelo Náutico, um dos que mais receberam carinho do torcedor foi o técnico Muricy Ramalho. Bicampeão pernambucano pelo clube, entre 2001 e 2002, resgatando a equipe em um dos períodos mais difíceis da história, o treinador até hoje tem relação de carinho com o Timbu - do qual, por exemplo, é sócio. Neste domingo, ele foi escalado para comandar um dos times no jogo de despedida de Kuki. E, claro, foi muito aplaudido e homenageado.



O outro treinador que mereceu aplausos foi Roberto Fernandes. Responsável por comandar a outra equipe do jogo em homenagem a Kuki, o campeão pernambucano de 2018 também teve seu nome gritado pelos torcedores.






Globo Esporte