21/03/2017 às 10:00:20

Anselmo diz que sente falta da pressão por gols no Náutico

Atacante disse que será utilizado por Milton Cruz no jogo desta quarta-feira, contra o Uniclinic-CE

Foto: Marlon Costa/ Pernambuco Press


Maior contratação do sistema ofensivo do Náutico, Anselmo sabe que está devendo no clube. Acometido por duas lesões na coxa direita, ele só entrou em campo três vezes pelo clube, sendo apenas uma como titular. Marcou um gol. Agora, terá a oportunidade de marcar mais. Ele está relacionado para a partida desta quarta-feira, contra o Uniclinic-CE. E tem certeza que vai jogar.

- Milton (Cruz, treinador) vai me utilizar, só não disse se é desde o início ou se vou entrar no decorrer da partida.

Anselmo sabe que os centroavantes do Náutico estão sentindo uma pressão grande pela falta de gols. E disse que ficou chateado por perder vários jogos importante, como clássicos contra o Santa Cruz e Sport.

- Não só estou preparado como sinto falta desse tipo de pressão. Fiquei de fora de vários jogos importantes não só para o clube, como para mim. Como os clássicos, por exemplo. Foi criada uma expectativa grande sobre mim e meu filho também me cobra em casa. Mas são coisas que acontecem e que tenho de passar por cima.

O jogador de 36 anos afirmou que não se lembrava da última vez que tinha se lesionado. Mas que se cobra bastante para poder voltar a jogar. Terceiro maior artilheiro do Brasil no ano passado, com 23 gols, quando jogava no Fortaleza, Anselmo comemorou o fato de ser novamente opção, e justamente em uma partida que será realizada no Ceará. Na última temporada, ele enfrentou o Uniclinic-CE três vezes e marcou dois gols.

- Fiquei muito tempo fora. Mas a cobrança maior é minha, talvez poucas pessoas percebam. Eu preciso dar uma resposta para mim mesmo. No ano passado, acho que joguei seis ou sete jogos a menos do que meus concorrentes para o artilheiro do ano. Fui ultrapassado faltando três jogos para o fim da temporada e eu já estava fora (de atividade no ano). (O retorno) Não poderia estar acontecendo em lugar melhor do que no Ceará. Eu estava lá e vivi muita coisa boa no ano passado.