01/04/2018 às 20:58:12

Central e Náutico ficam no 0 a 0



Léo Lemos


Central e Náutico tiveram um adversário em comum para a primeira partida da decisão. No caso, o duro e irregular gramado do Lacerdão, o que propiciou um duelo de muita marcação, chutões e bola parada. Porém, mais adaptado ao piso e cientes da importância do mando de campo, a Patativa tomou a iniciativa do confronto, pressionando os alvirrubros nos primeiros 15 minutos. 

No entanto, diante da forte marcação do Náutico e do desnível do gramado, as chances dos donos da casa vinham em bolas alçadas na área e chutes de fora da área, tendo sempre no meia Júnior Lemos o seu principal articulador, com os fortes Leandro Costa e Itacaré dando trabalho aos defensores timbus.

Já o Náutico tendo Negretti e Josa na proteção da defesa, com Wallace Pernambucano atuando como meia, teve dificuldade para trabalhar ofensivamente em busca dos atacantes Robinho, Rafael Assis e Ortigoza, esse mais centralizado. Tanto que o primeiro chute da equipe da capital só veio aos 25 minutos, com o paraguaio arriscando de fora da área para fácil defesa do goleiro França.

Porém, aos poucos, o Náutico foi melhor se adaptando ao tipo de jogo que pedia a final. E usando os contra-ataques, sua principal arma nessa temporada, conseguiu equilibrar a partida. Tanto que foram dos alvirrubros a melhor oportunidade de abrir o placar no primeiro tempo, após Robinho receber bom lançamento e tocar no meio da área para Ortigoza, que pegou mal na bola e mesmo assim obrigou França a fazer boa defesa, já aos 38 minutos.

Segundo tempo
Na volta para a etapa final, enquanto Mauro Fernandes optou por não mexer no Central, Roberto Fernandes, buscando melhorar o passe na saída de bola, sacou Wallace Pernambucana para a entrada de Júnior Timbó. Além disso, Fernandinho foi acionado na vaga de Rafael Assis. Para completar, com cinco minutos o treinador alvirrubro foi obrigado a fazer sua última mudança, com o experiente Wendel entrando na vaga do lesionado Josa.

O que não mudou foi o início da etapa. Assim como no primeiro tempo, foi o Central que tomou a iniciativa do jogo na volta do intervalo. Porém, a primeira boa chance foi novamente do Náutico, com Ortigoza aproveitando bola mal rebatida da defesa alvinegra e obrigando França a fazer nova boa intervenção, aos 15 minutos.

Com Júnior Timbó entrando na partida e, de fato, melhorando a distribuição do jogo ofensivo, o Náutico mais uma vez conseguiu equilibrar as ações da final, com Robinho explorando o lado direito de ataque.

Porém, o jogo seguia muito equilibrado, onde um erro de lado a lado poderia ser determinante. Algo que não aconteceu. E com as defesas levando vantagem sobre os ataques, o placar seguiu inalterado até  o fim. Título em aberto.

Ficha do jogo

Central 0
França; Eduardo Gago (Paulo Fernando), Danilo Quipapá, Vitão e Charles; Douglas Carioca (Graxa), Fernando Pires, Eduardo Eré e Júnior Lemos; Leandro Costa e Itacaré (Lucas Silva). Técnico: Mauro Fernandes.

Náutico 0
Bruno; Thiago Ennes, Camutanga, Camacho e Kevyn; Negretti, Josa (Wendel) e Wallace Pernambucano (Júnior Timbó); Robinho, Ortigoza e Rafael Assis (Fernandinho). Técnico: Roberto Fernandes.

Local: Estádio Luiz Lacerda, em Caruaru.
Árbitro: Péricles Bassols 
Assistentes: Clóvis Amaral e Francisco Chaves Bezerra
Cartões amarelos: Bruno, Ortigoza, Thiago Ennes (N), Dudu Gago, Paulo Fernando (C ) Público 14.080.
Renda: R$ 398.980




João de Andrade Neto /Superesportes