28/09/2017 às 13:55:22

Gramado irregular do Lacerdão passa a ser um adversário.



Náutico


Antes da partida contra o Internacional, uma das preocupações era com relação ao gramado do estádio Luiz Lacerda, bastante duro e irregular. Porém, os próprios jogadores do Náutico admitiram que as imperfeições do campo poderiam ajudar o time, diante de um adversário mais técnico como os gaúchos. Para o compromisso do próximo sábado, diante do Boa Esporte, novamente no agreste, a situação se inverte. Como só a vitória interessa, os alvirrubros terão que propor o jogo mais ofensivo. O que em um piso desnivelado e com buracos torna a missão ainda mais complicada.

O lateral-esquerdo Ávila, que não participou do primeiro jogo do Náutico no Lacerdão, reconhece que o gramado duro pode ser um adversário a mais para a equipe. Porém, enfatizou que o time não pode mais se apegar a desculpas. Afinal, só a vitória interessa para manter vivo o sonho de permanecer na Série B. Seja em que circustâncias forem.

"Acredito que o gramado será ruim para os dois, mas sem dúvida é pior para quem precisa propor o jogo. Isso vai dificultar um pouco sim. Mas não podemos ficar procurando defeitos no campo ou na arbitragem. Agora precisamos do apoio da torcida, que nunca abandonou o clube, para que o jogo contra o Boa seja o início da nossa arrancada. Temos que ganhar esses três pontos de qualquer jeito. Pode ter os buracos que tiver", afirmou.

Na visão do jogador, os três próximos jogos são essenciais para o Náutico. Após receber o Boa, o Timbu visita o Goiás, no Serra Dourada, e volta a Caruaru para enfrentar o Guarani. "Nesses três jogos precisamos somar os nove pontos para respirar no campeonato e de novo nos aproximar da saída da zona de rebaixamento. Já conseguimos diminuir essa diferença para cinco pontos e agora ela voltou a ser de nove. Esse jogo contra o Boa tem que ser o início dessa caminhada. Não adianta pensar no jogo do Goiás se não vencermos sábado. Porque do contrário, já teremos três pontos a menos", calculou.
 
 
 
 João de Andrade Neto /Superesportes