17/09/2017 às 17:34:02

Técnico preservar geração do Náutico

Roberto Fernandes tem orientado jovens

Nando Chiappetta/DP


Para lidar com a situação atual do Náutico, ter experiência no grupo é fundamental, embora, nem sempre, personalidade pode ser atrelada à idade. Com uma média de idade é de 24 anos, e 11 atletas oriundos da base, uma preocupação permeia a cabeça do técnico Roberto Fernandes. Para ele, escapar da Série C, este ano, siginifica também dar seguimento a um trabalho de qualidade feito na base do Náutico. Um deslize, e 2018 pode alijar uma geração talentosa formada no CT. O treinador tem trabalhado forte, com muita conversa, os garotos do elenco.

- De tudo de ruim que possa acontecer ao Náutico, se não conseguir sair do rebaixamento... todo mundo vai mirar no financeiro, mas vejo que o pior pode ser alijar uma geração absolutamente promissora. Nós temos na defesa Jefferson, Joazi, Feliphe e Manoel. Quatro meninos frutos do CT. E a gente sabe como funciona futebol. Caso não dê certo, vão dizer que a Série C é uma competição que precisa de jogador experiente e corre o risco de perder uma geração.

Para evitar que uma situação dessa possa acontecer, além de lutar contra o rebaixamento de todas as formas, o comandante tem trabalhado para que o psicológico dos atletas não se abale com a pressão diária.

- Tenho muita preocupação e tenho trabalhado esse grupo com muita responsabilidade, porque, o Náutico não alcançando o objetivo, ele vai ter uma perda do presente e do futuro. Por isso que, da mesma forma que cobro os atletas, passo a confiança para eles, corrijo eles, converso com eles. O trabalho não é só o sangue nos olhos e a faca nos dentes. Tem a parte cognitiva, a parte didática, para que eles tenham confiança naquilo que estão fazendo.

 
 
Eryck Gomes - Globo Esporte