16/08/2017 às 19:15:05

Náutico vence o Figueirense e deixa a lanterna



Paulo Paiva/DP


Uma espera que demorou longos 66 dias, mas que chegou ao fim nesta terça-feira. Em grande estilo. Tendo de longe a sua melhor atuação nesta Série B, o Náutico venceu o Figueirense por 2 a 0, na Arena de Pernambuco, e deixou, mesmo que momentaneamente, a lanterna da competição. Com 17 pontos, os alvirrubros sobem para o 19º lugar e agora secam o ABC, sábado, contra o Internacional, em Natal, para permanecerem fora da última posição.

A 21ª rodada pode ainda ser melhor para o Timbu caso Luverdense e Santa Cruz percam seus jogos para CRB e Guarani, respectivamente, ambos fora de casa. Caso isso aconteça, a distância para sair da zona de rebaixamento, onde o Náutico está desde a segunda rodada da competição, cairá para apenas seis - a distância já chegou a ser de 12 pontos.

Porém, além da matemática, o que mais deixa o torcedor esperançoso quanto ao futuro é a evolução mostrada no futebol da equipe. Agora, o time terá dez dias de descanso até o próximo compromisso, no dia 25, contra o Ceará, no Castelão

Show de Giovanni
Tendo apenas a vitória como resultado aceitável, o técnico Roberto Fernandes armou um esquema ofensiva para a partida, com dois meias e três atacantes, tendo no meia Giovanni, que recuperado de lesão no joelho retornava após seis rodadas, e o estreante atacante William, como novidades. E foram justamente os dois, ao lado do prata da casa Erick, os comandantes do melhor primeiro tempo do Náutico nesta Série B. Principalmente o camisa 10.

Com passes precisos, boa distribuição de bolas e excelente visão de jogo, Giovanni foi o maestro alvirrubro nos primeiros 45 minutos contra os catarinenses. Para completar o repertório, também estava com o pé calibrado nas finalizações. Assim, abriu o placar após bela jogada ensaiada em cobrança de escanteio, com Erick rolando para trás e o meia acertando belo chute sem defesa para o goleiro Saulo, já aos 17 minutos. Prova também do time bem treinado por Roberto Fernandes.

Com a vantagem inicial, o jogo que começou até certo ponto equilibrado, com o Figueirense tendo um pouco mais posse de bola, passou a ter domínio total dos donos da casa. Sempre tendo em Giovanni a sua principal peça. Ao todo foram 17 finalizações na etapa inicial, contra apenas duas do Figueirense.

Aos 31, o camisa 10 furou a defesa catarinense com um belo passe rasteiro achando o zagueiro Breno Calixto livre dentro da área. O defensor só teve o trabalho de tocar de lado para achar William empurrar para o gol. Experiente, e com passagem marcante pelo Avaí (maior rival do Figueirense), o atacante de 34 anos, apesar de visivelmente ainda fora de forma, também se destacou na função de pivô, prendendo a bola na frente.

A vantagem de 2 a 0 já era a maior obtida pelo Náutico em toda a Série B. E poderia ser maior caso Gilmar não desperdiçasse uma oportunidade frente a frente com Saulo, aos 44 minutos, após linda deixada de Erick.

Segundo tempo
Como não poderia ser diferente, Roberto Fernandes não fez nenhuma mudança para o segundo tempo. Já no Figueirense, do ex-técnico alvirrubro Milton Cruz, sacou o lateral-direito Bruno Silva para a entrada do meia Lucas Silva. Mas o cenário não mudou nos minutos iniciais com o Náutico em busca do terceiro gol, com Giovanni e Erick atormentando a defesa rival. Com o prata da casa, que pode estar se transferindo para o Braga-POR, perdendo outra boa chance aos oito minutos, após limpar o zagueiro e obrigar Saulo a fazer grande defesa.

Vendo o seu time continuar melhor em campo e o Figueirense sem forças para reagir, Roberto Fernandes só fez a sua primeira substituição aos 23 minutos, quando o alvinegro já havia realizado suas três trocas, com Iago substituindo Gilmar.

A mudança manteve a estrutura do Náutico, que passou também a contar com os contra-ataques. E em um deles, justamente puxado por Iago, Erick lançou Giovanni, que perdeu outra chance clara no minuto seguinte. Por sinal, se o Timbu apresentou uma falha na partida foi a de não “matar” o jogo antes do apito final. A situação do Figueirense ficou ainda pior aos 27, com a expulsão do zagueiro Naylhor. À essa altura, a vitória estava consolidada, coroando o melhor Náutico desta Série B.

Ficha do jogo

Náutico 2
Jefferson; Joazi, Breno Calixto, Feliphe Gabriel e Ávila; Amaral, Giovanni (Cal Rodrigues) e Diego Miranda; Erick (Gerônimo), William e Gilmar (Iago). Técnico: Roberto Fernandes.

Figueirense 0
Saulo, Bruno Santos (Lucas Silva), Leandro Almeida, Nhaylor e Julinho; Dudu Vieira, Zé Antônio e Patrick; Luidy (Ferrugem), Henan e Zé Love(Renan Mota). Técnico: Milton Cruz

Local:
Arena de Pernambuco.
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL).
Assistentes: Pedro Jorge Santos de Araújo e Wagner José da Silva (ambos de AL)
Gols: Giovanni (17 min do 1º), William (31 min do 1º).
Cartões amarelos: Dudu Vieira, Zé Love, Luidy, Zé Antônio, Naylhor (F), Breno Calixto (N).
Expulsão: Naylhor.



João de Andrade Neto /Superesportes