08/10/2016 às 00:12:30

Givanildo comemora 5ª vitória consecutiva e diz: "Foi um jogo de inteligência e superação"



Chico Peixoto


A vitória contra o Brasil de Pelotas foi conquistada na base da superação. Não apenas porque a partida foi dura, mas porque o Náutico precisou lidar com o cansaço da equipe. Ficou claro que o time alvirrubro não estava com o mesmo gás de uma semana atrás, quando bateu o Vasco e se impôs do começo ao fim da partida. Por isso o técnico Givanildo Oliveira classificou o triunfo como um jogo em que o time soube utilizar a inteligência.

“Gostei dessa força de marcação principalmente. Melhoramos muito em relação ao jogo passado (contra o Bragantino) em relação ao passe. Mesmo com um homem a mais tivemos calma para não entregar a bola a eles. Foi um jogo difícil e teve o cansaço, mesmo com o Brasil também cansado. Foi um jogo de inteligência e superação”, declarou.

Questionado se o cansaço atrapalhou a equipe, Givanildo Oliveira acredita que não porque o time soube se poupar quando necessário. Foi assim que saiu o gol de sacramentou a vitória alvirrubra na visão do técnico. “Não atrapalhou porque vencemos tivemos força para marcar o segundo gol. Mas tivemos o desgaste sim. Fomos um time inteligente e não nos desgastamos à toa. Principalmente, porque esperou o momento para fazer o segundo gol.”

Outra particularidade da partida na opinião de Givanildo foi o teor de decisão para a tabela. Por estar empatado em pontos com o Brasil de Pelotas antes da partida, a vitória foi mais importante ainda. “O jogo de hoje pelos números foi uma decisão. Estávamos iguais com eles e agora temos três pontos na frente. Contra o Ceará será a mesma coisa. Quando você consegue chegar no quarto no terceiro e o sétimo e oitava estão distante é bom, mas ainda está muito agarrado. Agora teremos uma semana para nos preparar para o Ceará”, vislumbrou o técnico.



Rafael Brasileiro /Diario de Pernambuco